Reserva de emergência: o que é e como planejar a sua? Entenda!

Por Social Bank 14 maio 21

Momentos difíceis e de incertezas financeiras fazem parte da vida das pessoas, e a reserva de emergência pode ser uma boa opção para se evitar dores de cabeça e problemas durante esse período. Isso porque a reserva guardada pode ajudar a suprir as necessidades de um imprevisto, como um remédio mais caro, a perda de emprego, entre outros.

No entanto, diante das aplicações financeiras, é comum as pessoas buscarem investimentos para adquirir bens e desconhecerem essa área da construção da reserva emergencial. Continue com a gente e saiba o que é e como planejar a sua.

O que é uma reserva de emergência?

É um montante de dinheiro juntado e guardado ao longo do tempo que, em um momento de emergência, precisa estar acessível para o uso. As situações emergenciais cabíveis para a utilização dessa reserva são as mais variadas, como casos de acidentes, alguma reforma inesperada, perda de emprego e até mesmo falecimento.

Assim, essa quantia reservada é um recurso que gera tranquilidade e segurança para ajudar com os seus débitos sem ter uma queda brusca com o padrão de vida em momentos financeiramente difíceis.

Qual deve ser o tamanho da reserva de emergência?

Essa condição depende do padrão de vida de cada pessoa. Em média, a reserva de emergência pode ser de 3 a 12 meses. No caso de funcionário público, por exemplo, a estabilidade no trabalho é maior, portanto a reserva fica em torno de 3 a 4 meses das despesas cobertas por esse montante.

Já para quem conta com uma despesa em torno de R$ 5 mil por mês na casa, a reserva precisaria ser de aproximadamente R$ 30 mil em uma conta básica de seis meses.

Como chegar ao valor necessário?

Na hora de estimar quantos meses são necessários para juntar uma determinada quantia de reserva de emergência, é fundamental entender o gasto mensal. As despesas fixas mensais, computadas a cada 30 dias, geralmente seguem o mesmo valor no decorrer do ano, como por exemplo:

  • Plano de Saúde: R$ 500
  • Combustível: R$ 300
  • Aluguel: R$ 2 mil
  • TV a cabo: R$ 300
  • Condomínio: R$ 500
  • Supermercado: R$ 1 mil
  • Cartão de crédito: R$ 400

Total: R$ 5.000

Com esse total, a reserva necessária deve ser de R$ 30 mil. Desse modo, para chegar à quantia exata é preciso realizar as contas considerando a realidade financeira de cada pessoa.

Como escolher o melhor lugar para guardar suas reservas?

Existe um método simples para guardar a reserva de emergência. É preciso analisar seus investimentos e conhecer os três principais critérios que podem ser utilizados:

  1. Liquidez – é onde o dinheiro fica disponível para ser utilizado sem dificuldade. Assim, quanto maior é a liquidez, mais fácil será o acesso no momento da urgência.
  2. Segurança –permite utilizar o dinheiro em seu total montante, sem nenhum risco de perda e de maneira tranquila.
  3. Rentabilidade – embora não seja a prioridade na reserva de emergência, é possível fazer o dinheiro render.

Qual o melhor investimento para a reserva de emergência?

O fundo de reserva de emergência é destinado para eventualidades que não são previstas. Confira os melhores lugares para guardar esse montante.

Poupança

Embora seja pouco aceitável pelos educadores financeiros devido não ser considerada um investimento, a poupança ainda é uma boa opção para reserva emergencial. Isso acontece, muitas vezes, por desconhecimento de outras opções, mas essa é a única que permite a liquidez imediata.

Tesouro Direto

Outra opção é o tesouro direto. São títulos públicos do governo vendidos para pessoas físicas. Os valores iniciais são de R$ 30,00 e o processo é feito pela a internet. Assim, a reserva é emprestada para o governo e quando for preciso utilizar o dinheiro é recebido com juros proporcionais ao período que ficou emprestado. O saque é disponibilizado com a demora de um dia útil.

Fundos de renda fixa

É um conjunto de investidores conhecidos como cotistas, que investem diferentes títulos de renda fixa. O diferencial é a equipe de gestores, que fazem o acompanhamento diário das aplicações. Contudo, conforme os títulos que compõem a carteira, os fundos de renda fixa variam com as classificações.

A reserva de emergência é recomendada para qualquer pessoa, para que possa resolver imprevistos de maneira mais rápida. Os investimentos possibilitam ganhos, fazendo com que o dinheiro aumente e, ao mesmo tempo, preparando para as eventualidades.

Esse conteúdo foi interessante para você? Então compartilhe em suas redes sociais para que seus amigos também possam obter essa informação!

Facebook Comments Box
Fechar