Faturamento MEI: o que você precisa saber sobre esse assunto

Por Social Bank 06 maio 21

A realidade dos pequenos empreendedores é bastante diferente das grandes corporações. Porém, um aspecto é comum a todas as empresas: as obrigações fiscais. Estamos falando do faturamento MEI e das regras que devem ser seguidas para quem deseja permanecer nesse enquadramento tributário.

O ano de 2020 registrou um recorde de abertura de empresas e o número de microempreendedores individuais cresceu e atingiu a marca de 11,3 milhões de inscritos ativos. É nesse cenário de impulsão que devemos focar na melhoria da gestão destes negócios.

Por isso, se você tem interesse em conhecer mais sobre esse processo, este artigo foi feito para você. Continue lendo para saber mais!

Por que entender sobre o faturamento MEI?

Dedicar-se à atividade empreendedora é uma ideia com riscos e recompensas. Por esse motivo, antes de dar esse passo tão importante é preciso conhecer como funciona a gestão de um negócio, mesmo no caso de um microempreendimento.

 A falta de conhecimento sobre as questões financeiras é um dos principais motivos para o fechamento de novos negócios nos primeiros anos de operação. Isso faz com que seu sucesso dependa da sua capacidade de lidar com a gestão de recursos e sua alocação de forma adequada.

Isso também afeta os custos da empresa. Em geral, as empresas MEI tendem a funcionar em pequena escala, ou seja, são pessoas que trabalham de casa ou lojas em diversas modalidades.

O setor alimentício está entre os principais modelos de negócio, principalmente com o crescimento dos pedidos de delivery e aplicativos de entrega. Portanto, fica claro que o cuidado com as finanças é uma questão estratégica para tirar seus planos do papel.

Quais são as regras do faturamento MEI?

Embora simplificação seja a palavra-chave na formalização de um negócio MEI é essencial atentar aos cuidados que o empreendedor deve adotar. Por isso, nossa dica é compreender o faturamento MEI da melhor forma possível para manter acompanhar seus resultados.

Pensando nisso, existem alguns aspectos que requerem verificação constante para permanecer em dia com suas obrigações e deveres. 

Limite de faturamento

No ano de 2020, o teto para o faturamento anual de microempreendedores individuais é de R$ 81 mil anuais ou, em média, R$ 6.750 por mês. Isso faz com que os autônomos precisem ficar atentos ao controle do seu faturamento para evitar ultrapassar essa marca.

Além disso, esse limite é proporcional ao tempo de operação da empresa desde seu registro. Por exemplo, se sua formalização foi concluída no primeiro dia de março, o faturamento máximo corresponde a dez meses, ou seja, R$ 67.500 neste ano.

Isso faz com que a formalização de quem é MEI siga uma série de regras para continuar a usufruir dos benefícios fiscais e previdenciários. Vale lembrar que esse valor não é um impedimento para que a empresa cresça, porém, será necessário ajustar o enquadramento para uma opção mais adequada à nova situação do empreendimento.

Emissão de documentos fiscais

Também existem regras específicas para a emissão de documentos fiscais nas transações de venda ou prestação de serviço que requer atenção do gestor. Como a nota fiscal é o documento que registra a venda e o recolhimento dos respectivos tributos, essa é uma obrigatoriedade quando se tratar de uma pessoa jurídica, inclusive órgãos públicos.

Por outro lado, quando a comercialização acontece diretamente para o consumidor final ou pessoa, não existe essa obrigatoriedade. É importante destacar que isso não isenta quem é MEI de prestar constas sobre a entrada de recursos financeiros.

Cálculo do faturamento

O objetivo de uma empresa é gerar lucro e remunerar o investimento do empreendedor, e por esse motivo, é fundamental conhecer como funciona essa apuração. Nesse caso, é importante entender as diferenças entre os principais resultados financeiros.

O faturamento bruto é calculado com base no volume de produtos comercializados/prestação multiplicado pelo preço de venda ou do serviço. Se a sua empresa emitiu notas fiscais para todas as transações, basta realizar o somatório desses valores para apurar o faturamento.

Já o faturamento líquido corresponde ao faturamento bruto menos as deduções de vendas e os tributos que incidem sobre a transação. 

Cálculo da lucratividade

O lucro bruto é a receita total ou faturamento menos os custos variáveis da operação e dos impostos por venda. Já a receita líquida desconta todos os custos fixos e variáveis, bem como as despesas apuradas.

Esse cálculo também ajuda a definir a margem de lucro de produtos e serviços. Com base nos custos é possível adicionar o percentual de lucro para definir o preço de venda e garantir que a sua empresa apresente resultados positivos.

Tributação MEI

O objetivo da regularização de empresas de pequeno porte e profissionais autônomos é garantir o acesso a benefícios e direitos. Um desses benefícios é simplificação da legislação tributária.

Esse foi um aspecto adaptado à realidade das empresas para, assim, garantir que o empreendedor estivesse em dia com suas obrigações. Isso ocorre porque o processo tributário das pessoas jurídicas pode gerar inúmeras dúvidas em razão da complexidade das regras.

A solução foi unificar todos os impostos devidos em uma taxa única chamada de Documento de Arrecadação do Simples Nacional do Microempreendedor Individual (DAS-SIMEI).

A cobrança é reajustada anualmente de acordo com o valor do salário mínimo vigente e requer seu pagamento para garantir o acesso aos benefícios tributários. Em 2021, a contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é um valor fixo de R$ 55,00 enquanto os impostos variam conforme a atividade:

  • Comércio e Indústria: R$ 1,00;
  • Serviços: R$ 5,00;
  • Comércio e Serviços: R$ 6,00.

Nós entendemos que esse processo pode parecer complexo a princípio, porém essa é a solução ideal para quem deseja empreender nos limites da legislação. Por isso, a nossa sugestão é contar soluções que ajudam a simplificar as rotinas da empresa.

Serviços bancários acessíveis, contas que ajudam no gerenciamento de folha de pagamento e automatizam a conciliação bancária. Esses recursos também estão disponíveis para o controle do fluxo de caixa e a gestão do faturamento MEI.

Se você achou esse conteúdo interessante, que tal compartilhar essa postagem nas redes sociais para criar um ambiente de troca de informações e conhecimento?

Facebook Comments Box
Fechar