Imposto de Renda 2021: Saiba como declarar pela primeira vez

Por Social Bank 15 abr 21

Artigo atualizado em 15/04/21

A Declaração de Imposto de Renda é uma obrigação de (quase) todos os brasileiros. Uma vez ao ano, é necessário declarar para a Receita Federal todos os seus rendimentos, ou seja, tudo o que você ganhou até o dia 31 de dezembro de cada ano — como salário, venda de imóvel, venda de carro, rendimento de investimentos e por aí vai.

Em suma, você precisa provar para o Governo que não deixou de pagar imposto e que está em dia com seus pagamentos. Além disso, é essencial verificar se está no grupo de obrigatoriedade adequado, pois o atraso na entrega do imposto pode gerar multa. Apesar de parecer um pesadelo para quem vai entregar o IR pela primeira vez, a gente assegura: não é tão complicado assim. 

Para esclarecer as dúvidas mais comuns sobre o leão, continue lendo este conteúdo e entenda como o imposto de renda funciona. Boa leitura!

Quem deve declarar e onde fazer isso? 

Nem todas as pessoas são obrigadas a fazer a declaração de Imposto de Renda. Isso porque é preciso se encaixar em pelo menos um dos critérios abaixo, confira: 

  • brasileiros que obtiveram renda total superior a R$ 28.559,70 em 2020; 
  • quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte (como os rendimentos da poupança) superior a R$ 40 mil; 
  • pessoas com bens avaliados acima de R$ 300 mil em 31 de dezembro; 
  • pessoas que obtiveram receita de mais de R$ 142.798,50 em atividades rurais; investidores com aplicações na Bolsa de Valores; 
  • pessoas que tenham apurado ganho de capital na alienação de bens e direitos (venda de um imóvel, por exemplo).

A declaração pode ser entregue por meio do Programa Gerador de Declaração. Para isso, basta fazer o download no site da Receita Federal. O programa do IR também está disponível em formato de aplicativo “Meu Imposto de Renda”, para tablets e celulares com Android ou iOS (iPhone).  

Na tela inicial do programa, você tem de informar qual tipo de declaração deseja fazer. Existem dois tipos:

  • simples — é destinada aos contribuintes que tiveram poucas despesas no ano passado. A Receita aplica um desconto automático de 20% sobre todos os rendimentos recebidos em 2020, limitados a R$ 16.754,34;
  • completa — é destinada para quem teve mais gastos no ano. Neste modelo, são consideradas todas as possibilidades de despesas dedutíveis (educação, saúde, dependentes, previdência privada).

Quais são os documentos necessários? 

Antes de começar a preencher as informações, reúna todos os documentos e a papéis de ganhos e rendimentos, confira os principais: 

  • dados cadastrais dos dependentes (caso tenha); 
  • informe de rendimentos e ganhos. Se você for colaborador CLT, solicite ao RH da sua empresa um papel com o informe de rendimento de 2020. Se for freelancer ou autônomo, é hora de reunir os pagamentos que você recebeu; 
  • informe de rendimento de instituição financeira; 
  • despesas com saúde (plano de saúde e despesas extras); 
  • despesas com educação; 
  • comprovante de doações; 
  • comprovante de compra e venda de bens (destaque para imóvel e automóvel); 
  • comprovação de aluguel de imóveis (caso a locação aconteça por meio de uma imobiliária, não é necessária declaração);
  • comprovante honorário de profissionais liberais, como engenheiros e advogados; 
  • previdência complementar (demonstrativos de valores pagos a título de previdência complementar, nas modalidades de PGBL, FAPI e previdências fechadas de natureza pública); 
  • arrecadação da Previdência Social;

Agora, é só começar. O programa é autoexplicativo e auxilia no preenchimento. Caso tenha alguma dúvida, basta seguir as instruções disponíveis a partir do menu “Ajuda”. 

Uma dica: todos os comprovantes que você usar na declaração devem ser guardados por cinco anos, pois este é o tempo em que a Receita pode chamar você para dar explicações. 

Independentemente de ter enriquecido, perdido dinheiro ou ficado no zero em 2020, todos os investidores precisam declarar suas aplicações financeiras. Não sabe como declarar suas negociações? Veja o guia de como declarar ações no IR.

Qual o prazo de entrega para a declaração do imposto de renda em 2021? 

O prazo para apresentação da Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física, geralmente, tem início no dia 1º de março e termina no dia 30 de abril, de acordo com o site da Receita. Dessa forma, o contribuinte tem, aproximadamente, 60 dias para declarar suas contas junto ao Fisco. Mas, no ano de 2021, esta data foi prorrogada do dia 30 de abril para 31 de maio.

Vale ressaltar que é importante não deixar para entregar em cima do prazo, pois os últimos dias o sistema fica sobrecarregado devido ao alto número de acessos, podendo comprometer o envio. Além disso, a multa para quem perder o prazo de entrega é de 1% ao mês sobre o valor devido apurado, sendo o mínimo R$ 165,74 e o máximo 20%. 

O que é preciso informar na declaração e quais erros devem ser evitados?

Todos os rendimentos do ano de 2020 devem ser declarados, incluindo indenizações por acidente de trabalho, despesas médicas, gastos com educação, pagamento de pensão alimentícia, aluguéis, bens, entre outros. Assim, é importante informar todos os conteúdos necessários.

Para quem não tem familiaridade com o assunto, a atenção deve ser redobrada para que não haja confusão e erros sejam evitados na Declaração de Imposto de Renda. Entre os erros mais comuns, podemos citar:

  • omissão de rendimentos com aluguéis — isso acontece quando a pessoa tem mais de um imóvel alugado e acaba se esquecendo de informar os rendimentos recebidos;
  • problemas de digitação — esse é um erro bastante comum, principalmente na hora de digitar determinados números;
  • não informar rendimento de dependentes — o titular declara seus dependentes, mas se esquece de informar os rendimentos recebidos por eles;
  • declaração de rendimento na ficha errada — acontece quando há a classificação errada dos rendimentos;
  • variação patrimonial incompatível com a renda — esse é um tipo de erro que, por falta de atenção, pode ser facilmente verificado pela Receita, principalmente quando a pessoa recebe uma quantia e adquire um imóvel com o dobro do valor, sem outra fonte de renda.

Quem recebe o direito à isenção do imposto de renda? 

Atualmente, o contribuinte tem direito à isenção da entrega de Declaração do Imposto de Renda desde que ele se encaixe em um dos seguintes itens:

  • aposentados, com mais de 65 anos, precisam exclusivamente do beneficio da aposentadoria para sobreviver;
  • seja dono de bens cujo valor da somatória total seja inferior ao valor de R$ 300.000;
  • tenha rendimento mensal menor que R$ 1.999,18;
  • seja uma pessoa física que dependa de outras. Diante disso, apenas o dependente não terá uma declaração própria em seu nome. No entanto, caso haja renda, esta deverá ser tributada normalmente.

Além disso, portadores de determinadas doenças também podem ser dispensados de entregar o IRPF, tais como:

  • cardiopatia grave;
  • AIDS;
  • cegueira (inclusive monocular);
  • Alienação mental;
  • contaminação por radiação;
  • esclerose múltipla;
  • Doença de Parkinson;
  • espondiloartrose anquilosante;
  • hanseníase;
  • fibrose cística;
  • nefropatia grave;
  • neoplasia maligna (câncer);
  • hepatopatia grave;
  • osteíte deformante;
  • tuberculose ativa;
  • paralisia irreversível e incapacitante.

Quando a pessoa recebe? 

De acordo com a Receita Federal, os valores serão pagos em cinco lotes, a partir do dia 31 de maio (com o último dos lotes previstos para setembro). A prioridade de pagamento no calendário é para pessoas idosas (com mais de 65 anos), portadores de doenças graves e deficientes físicos ou mentais:

  • 1º lote — 31 de maio;
  • 2º lote — 30 de junho;
  • 3º lote — 31 de julho;
  • 4º lote — 31 de agosto;
  • 5º lote — 30 de setembro. 

Como acompanhar a situação da declaração? 

Depois de entregar a lição de casa da vida adulta, você pode acompanhar o processamento da sua declaração. Você pode fazer isso por meio da aba “Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF)”, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC)

O acesso ao serviço pode ser efetuado via código de acesso ou certificado digital. Para gerar um código de acesso, clique em “Saiba como gerar o código de acesso”, depois em “Gerar código de acesso para pessoa física” e insira o número do recibo da sua declaração entregue de 2020. 

Assim, mesmo que ainda não esteja no prazo de entregar o imposto de renda, vale a pena iniciar desde já a coleta de todas as informações e gastos de renda, para que além de não se esquecer dos investimentos, possa evitar erros no momento da declaração.

Lembra da sua conta Social Bank! Para solicitar o Informe de Rendimentos (IR) no Social Bank, siga os passos abaixo:

  1. abra o app do Social Bank;
  2. no menu principal, clique na opção “Relatório IR”;
  3. pronto! Agora é só baixar o documento ou enviar para o seu e-mail.

Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então, entre em contato conosco e seja atendido por especialistas de nossa equipe. Será um prazer poder ajudá-lo.

Fechar