Como aplicar a Gestão de Recursos para o Terceiro Setor? Veja

Por Social Bank 27 out 21

Se o mercado já era exigente com o terceiro setor na captação de recursos, com a pandemia e seus impactos econômicos, os desafios ficaram maiores. Isso exigiu das organizações um gerenciamento de recursos mais eficiente , que consiga ampliar o leque de captação e que destine bem os valores captados.

A gestão de recursos para o terceiro setor deve ser baseada na utilização conforme demanda necessária, afinal, estamos falando de organizações sem fins lucrativos. Como os recursos financeiros, humanos e materiais são mais limitados, a priorização se torna primordial, como foco total na obtenção dos resultados práticos que a organização busca, de acordo com seus princípios.

Neste post, entenderemos como é possível fazer uma boa gestão de recursos no terceiro setor e a importância desse processo. Confira!

Como deve ser feita a gestão financeira de ONGs e instituições?

A boa gestão financeira é a capacidade que uma organização tem de administrar os seus recursos de modo que o negócio se torne sustentável, funcionando de maneira eficiente. Em instituições sem fins lucrativos, que têm como fonte de renda os recursos captados de doações ou de recursos externos, o cálculo administrativo se torna crucial.

A utilização do fluxo de caixa com foco em apoio a projetos permite que a empresa mantenha as reservas necessárias para lidar com os seus principais compromissos, equilibrando os débitos e os créditos com mais eficiência.

Como coordenar a captação de recursos?

A captação de recursos é a principal alternativa de fonte de renda para as organizações sem fins lucrativos e essa coordenação precisa ser feita levando em conta uma série de detalhes. Entre as principais formas de captação podemos destacar:

  • captação obtida por meio do poder público — trata-se do repasse direto do poder público, realizado conforme legislação específica e processos de auditoria;
  • captação por meio de doações online — com a popularização da internet e dos smartphones, as doações online se tornaram mais prática e rápida, sendo que o PIX foi um grande facilitador;
  • captação em eventos — uma das maneiras mais tradicionais de captação de recursos é por meio de eventos beneficentes, em que toda a renda fica para a organização;
  • captação por renda própria — outra maneira de captar recursos é por meio de criação de renda própria, comercializando produtos produzidos ou adquiridos pela instituição.

Por que no terceiro setor deve-se manter o planejamento de longo prazo?

É evidente que o planejamento a longo prazo também é importante para as organizações com fins lucrativos, mas no terceiro setor essa necessidade se torna latente. Isso porque as ONGs e instituições tendem a ter mais dificuldades em momentos de baixa captação — como aconteceu durante a pandemia. Com o planejamento a longo prazo, é possível até criar um fundo de emergência para essas situações imprevistas.

Como fazer uma gestão mais transparente?

Outro ponto importante da gestão de recursos no terceiro setor é a transparência na prestação de contas. É importante apresentar um relatório detalhado dos recursos utilizados, mostrando de onde foram captados os recursos, o período em que foram arrecadados e onde esses recursos foram aplicados. Quanto mais transparente for a prestação de contas, melhor será para a saúde financeira da organização.

Como vimos, a gestão de recursos para o terceiro setor tem como foco a manutenção das atividades da organização, por meio da alocação inteligente dos recursos. Quando esse processo é bem-sucedido, todos ganham: a instituição, que mantém o seu funcionamento e missão e a comunidade, que continua a receber os serviços prestados pela instituição.

Gostou do post? Então, ajude a gente a divulgá-lo, compartilhando em suas redes sociais.

Facebook Comments Box
Fechar