Como o empreendedorismo negro vem ganhando força no país e quais são as tendências!

Por Social Bank 27 abr 21

Na população negra a desigualdade econômica e social é um assunto de bastante relevância, pois ao comparar com a sociedade branca pode-se observar renda médias menores, aumento da taxa de desemprego e redução no mercado de trabalho formal. Com isso, houve a necessidade de contornar as barreiras do mercado e elaborar a sua própria renda, resultando no empreendedorismo negro.

Esse mercado vem ganhando força em todo o mundo, principalmente devido às iniciativas que tem contribuído para que as pessoas negras invistam em seu próprio negócio. Desse modo, as novas tendências têm como intuito abordar a especialização, saindo do comum para também atender as necessidades de mulheres, crianças e homens negros.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo com os principais pontos sobre o assunto, para que você entenda o que é esse conceito, seus desafios e tendências. Continue lendo e confira!

O que é empreendedorismo negro?

É um movimento de pessoas pardas, pretas e negras que tiveram a iniciativa de se unir para buscarem o incentivo do empreendedorismo da população e, assim receber de maneira positiva a comunidade negra no país.

Dessa forma, o empreendedorismo representa toda uma estrutura social, já que boa parte da população no país é entre os menos favorecidos e pobres, mas também permite aumentar as chances de melhorar a vida das pessoas.

Quais são os desafios desse conceito?

Embora a população negra represente uma boa parte do empreendedorismo no Brasil, eles ainda têm alguns desafios no comércio. Um exemplo disso é que seu faturamento é menor quando comparado a outros empreendedores.

Também há grandes dificuldades para ampliar os pequenos negócios e menos chances de se desenvolver, devido aos obstáculos em obter linhas de créditos, o que faz com que muitos do empreendedorismo negro optar por utilizar somente a própria poupança ou o auxilio de amigos e familiares para investir em seu negócio. Além disso, há outros desafios apontados, como racismo, menor acesso à educação financeira e as tecnologias e dificuldades para comercializar serviços e produtos.

Quais são iniciativas para conseguir vencer os desafios existentes?

O preconceito e a discriminação racial geram diversas barreiras educacionais, sociais e culturais. Para vencer esses e outros desafios, iniciativas estão sendo criadas para incentivar o empreendedorismo negro no Brasil. Dentro de algumas praticas tomadas e iniciativas, podemos citar:

Preta Hub – é um Hub de inventividade, criatividade e tendências pretas, criado por Adriana Barbosa e com resultados de 18 anos de trabalho na incubação e aceleração do empreendedorismo negro, mapeando a capacitação técnica e criativa no país.

Afro Hub – é um projeto que tem como intuito promover ações para a inclusão de trabalhadores da população negra. Assim, o programa conta com o apoio do Facebook e são liberados pelos institutos Afrobusiness, Feira Preta e Diáspora Black.

Black Money – é um projeto que tem como foco otimizar o desenvolvimento do empreendedorismo negro, trazendo networking, comunicação, educação e mídias para a produção e organização de conteúdos nas áreas de tecnologia, inovação e finanças. O movimento foi criado por Nina Silva, que teve duas limitações proporcionadas pelo preconceito e instituiu o Movimento Black Money como uma maneira de conectar e incentivar consumidores e empresários afrodescendentes por meio de um marketplace.

Quais as razões comuns para o empreendedorismo negro?

No Brasil, devido às razões comuns, o empreendedorismo negro gerou três perfis, os que possuem vocação, os que empreendem por necessidade e os engajados. Para entender melhor cada um deles, veja a seguir as suas características.

Vocação – é quando proximidades com a prática do dia a dia, autonomia ou independência, proporcionam desejo constante para aquele que quer empreender. Isso acontece quando a pessoa tem a pretensão de ser autônomo e a familiaridade com a atividade que executa, geralmente associado com as dificuldades de conseguir uma oportunidade no mercado de trabalho.

Necessidade – por conta do desemprego, são motivados a partir para a necessidade de empreender. Boa parte neste ramo são mulheres que contam com amigos e familiares como parceiros de trabalho, mas que, muitas vezes a tomada à frente gera negócios precários e sem formalização.

Engajado – afros empreendedores que contam com o senso de oportunidade, prazer e identificação com as atividades associadas ao empreendedorismo. Esse público tem como desejo a vontade de atuar em atividades autofirmativas, dirigida para a população negra. Muitas vezes, este é um tipo de negocio que oferece serviços específicos para o aforcentrado, como produtos para cabelos cacheados e crespos, por exemplo.

Quais são as formas para se investir em empreendedorismo negro?

O empreendedorismo negro favorece a aceleração da economia no país e isso traz vantagens não só para a população negra, como também para toda a comunidade, uma vez que auxilia na independência financeira e na autonomia. Sendo assim, para quem pretende investir neste setor, vale a pena seguir algumas dicas, tais como:

Analise o pequeno empreendedor

Geralmente, os pequenos empreendedores contam com muita vontade, isto é, dinamismo, grande potencial de crescimento e criatividade, necessitando apenas de incentivos para melhor desenvolver seus projetos.

Opte por projetos antirracistas

Para quem esta querendo investir no empreendedorismo negro é essencial priorizar projetos com ações antirracistas. Isso porque o grande impacto positivo que isso gera, traz benefícios não só para a população negra, mas também para a comunidade em geral, como a redução da desigualdade e fortalecimento da sociedade.

Indique negócios elaborados por profissionais negros

A recomendação de profissionais é uma prática que conta muito no mercado de trabalho, pois independentemente do tipo de segmento da empresa ou negocio desenvolvido, a indicação abre as portas para a conquista de novos clientes.

Quais são os pequenos negócios que apoiam o empreendedorismo negro no Brasil?

Em meio a tantos desafios no mundo do empreendedorismo negro, vale a pena contar com pequenos negócios que investem e apoiam esse conceito no Brasil, a fim de constituir ferramentas que possam vencer a desigualdade. Entre algumas dessas organizações está a Afrobusiness, que atua para proporcionar conexões entre os próprios empreendedores negros, com o objetivo de movimentar a economia e promover a sustentabilidade dos negócios, com a chamada Black Money.

Outra organização do mercado financeiro é a Internet Banking da Social Bank que oferece simplicidade e conectividade, além de ressignificar valores da sociedade. Dessa forma, este é um bom negócio para se investir e auxiliar no empreendedorismo negro, pois é possível realizar os serviços bancários por meio do ecossistema financeiro com muito mais facilidade. Tudo isso é feito por pessoas que acreditam no potencial dos negócios de seus clientes.

Interessou-se pelo assunto? Então entre em contato conosco e veja os diversos recursos que podemos oferece para você.

Fechar