5 dicas para facilitar o controle de pagamento na sua usina

Por Social Bank 12 maio 21

Um dos pilares para o crescimento sustentável de qualquer negócio, independentemente do porte, é a boa gestão financeira. O controle de pagamentos é um dos principais processos dessa gestão, que precisa ser realizado com um bom planejamento e auxílio de boas ferramentas de gestão.

Os pagamentos, ou contas a pagar, nada mais são do que os compromissos assumidos pela empresa com os credores, fornecedores, colaboradores e governo — por meio dos impostos e tributos. O não cumprimento desses compromissos pode trazer uma série de problemas para a empresa, desde entraves judiciais até perdas de patrimônio, que podem levar ao fim do negócio.

Mas como fazer um bom controle de pagamentos em uma usina? Neste post, apresentamos 5 dicas para que você dê os primeiros passos rumo a esse objetivo. Confira!

1. Inicie com um plano financeiro

Para ter um bom controle financeiro é importante definir onde você quer chegar e como fazer para atingir esse objetivo. Isso é importante porque, se o gestor não souber como anda o nível do fluxo de pagamentos atual e suas metas, não conseguirá criar uma estratégia sólida.

Analise os resultados obtidos nos últimos meses e identifique os possíveis gargalos financeiros em sua usina. O seu negócio está no vermelho? Qual é o nível das dívidas atuais? Qual é a margem de lucro da empresa? Com esse tipo de pergunta, você conseguirá definir os pontos de maior atenção e, assim, criar o seu plano de ação.

2. Monitore o índice de liquidez da empresa

No tópico anterior falamos da importância do bom planejamento financeiro para que a empresa tenha um ponto de partida e um de chegada. Mas como podemos mensurar os resultados dos nossos planos de ação? Com o monitoramento de indicadores de desempenho, que darão uma visão mais completa dos negócios.

Para ter acesso a esses indicadores, o gestor deverá contar com um banco de dados estruturado. Um dos indicadores que ajudam na análise da saúde financeira de uma empresa é o índice de liquidez.

Esse índice faz a relação dos ativos de curto prazo, ou seja, o que a empresa tem a receber, com os passivos, o montante a ser pago pela empresa. Para utilizar esse indicativo, aplique a seguinte fórmula:

  • liquidez = ativos de curto prazo / passivo de curto prazo

Para que a usina apresente uma boa liquidez, o resultado precisa ser maior ou igual a 1, indicando que há uma boa proporção entre os ativos e os passivos. Um resultado inferior a 1 indica que, se a empresa quiser gerar receitas, deverá equacionar as suas pendências.

3. Fique de olho no fluxo de caixa

Outro processo importante para o gestor que está querendo ter mais facilidade na gestão dos pagamentos é o controle do fluxo de caixa. O registro de todas as entradas e saídas de dinheiro deve ser feito em tempo real, em uma plataforma confiável. Não faz mais sentido, em pleno 2021, manter os seus registros em planilhas de Excel.

Você precisa de uma ferramenta de gestão que unifique o banco de dados e dê mais transparência para que seja feita a análise da evolução de seu caixa com muito mais precisão. Assim, será possível planejar o capital de giro de sua usina, controlando os pagamentos e sabendo exatamente o que a sua empresa precisa fazer para aumentar a receita.

Por que utilizar uma planilha não é a melhor opção?

Contar com um sistema seguro e confiável é importante, porque um registro de fluxo de caixa que não seja condizente com a realidade da empresa, por falta de informações ou perda de dados, pode fazer com que a corporação passe por graves crises financeiras.

Por exemplo: muitos gestores acreditam estar utilizando uma ferramenta moderna quando fazem o seu controle de caixa com planilhas de Excel. Porém, além de não entregarem a flexibilidade e segurança desejada, essas ferramentas terão uma margem de erro maior em relação a fórmulas e cálculos. Um errinho pode custar caro e trazer imprecisões que podem prejudicar todo o planejamento financeiro.

Já o software de gestão financeira é desenvolvido por profissionais qualificados, que entregam uma ferramenta funcional e segura para gerenciar as finanças de uma empresa. Você tem a garantia de que os algoritmos vão fazer os cálculos corretos e que os dados estarão seguros — além de ganhar a possibilidade de acessá-lo de qualquer lugar se a solução for ambientada em nuvem.

4. Renegocie seus pagamentos

Renegociar as parcelas que ainda vão vencer ou dívidas atrasadas pode ser a alternativa para desafogar o fluxo de caixa.

As empresas devem trabalhar em parceria uma com as outras, ou seja, ao renegociar suas pendências, a sua empresa está sinalizando para o credor, fornecedor ou parceiro, que está interessado em quitar o débito e manter a boa relação. Proponha alternativas, como a redução de juros, aumento do número de parcelas ou até mesmo um abatimento do valor.

Abra uma negociação para que vocês cheguem a um meio termo que seja bom para todos, ou seja, com um valor de pagamento que caiba em seu orçamento e que seja representativo para eles.

5. Utilize a tecnologia ao seu favor

Como já adiantamos acima, não adianta querer fazer uma boa gestão financeira da sua usina, com um bom controle de pagamento, utilizando meios antiquados para isso. Com as corporações cada vez mais dependentes de seus ativos de TI, graças à transformação digital, a utilização de um software de gestão específico é primordial.

Com a utilização de uma boa plataforma financeira, o gestor poderá controlar todos os recebimentos e pagamento da empresa, formando um banco de dados centralizado, confiável e seguro.

Assim, você terá todas as informações sobre a saúde financeira de sua empresa em um só lugar, além de poder contar com funcionalidades específicas, que ajudarão no combate à inadimplência, cálculo de juros, emissão de relatórios e outros.

Como vimos, o controle de pagamentos de uma usina deve ser feito a partir de um monitoramento inicial, que dirá os caminhos que os gestores deverão tomar. Mapear o fluxo de caixa e tentar renegociar os pagamentos atuais, também contribuem para a otimização dessa gestão. Não podemos esquecer o papel que a tecnologia tem para a automação de processos, redução dos erros e segurança dos dados.

Gostou do post? Continue com a gente e descubra a importância da gestão financeira dentro da empresa.

Facebook Comments Box
Fechar