Construções verdes: conheça a nova tendência em empreendimentos sustentáveis

Por Social Bank 21 jun 21

As construções verdes são edificações projetadas com base em critérios sustentáveis, que impactam positivamente, em todo o seu ciclo de vida, o ambiente, a sociedade e a economia. Essa preocupação começa desde o projeto, passando pela escolha do local, a sua forma de construção e até a sua futura demolição. O foco é que, em todas as fases, tratando se de uma construção sustentável, ela deve trazer algum retorno positivo para a sociedade.

Um dos focos das construções verdes é o de projetar edificações que sejam ambientalmente responsáveis na utilização de seus recursos, com máxima eficiência, consciência social e redução de desperdícios. Além desse cuidado com o ambiente, há um ganho em relação ao mercado, pois esses tipos de construção tem uma vida útil maior e a ocupação dos imóveis se dá de maneira mais rápida.

Quer entender quais são as vantagens desse modelo de construção e as suas principais tendências? Continue lendo!

Quais são as principais vantagens das construções verdes?

Como já introduzimos, os benefícios das construções verdes são refletidos tanto na vida de seus usuários quanto nos ambientes. Esse modelo de edificação visa o aproveitamento máximo dos recursos do seu local de implantação, que é escolhido minuciosamente. 

Todo o planejamento é executado tendo em vista o aproveitamento máximo dos recursos naturais presentes, como a abundância de iluminação solar, por exemplo. Para que isso seja possível, é realizado um estudo minucioso de viabilidade, que tem como foco a otimização da utilização da ventilação e energia natural. 

Além disso, os materiais utilizados são escolhidos como foco no aproveitamento da matéria prima disponível na região, sempre priorizando os materiais menos processados, sem componentes tóxicos e com possibilidade de reciclagem.

Há também vantagens para quem trabalha nas obras das construções verdes, pois, as otimizações realizadas nos canteiros de obras proporcionam um ambiente de trabalho mais saudável, com melhores condições.

Para os investidores, a principal vantagem é a redução nos custos com a construção e operação, devido a práticas sustentáveis como o reaproveitamento de recursos, como a água e a otimização do canteiro de obras.

Quais são as principais tendências em relação a esse modelo de construção?

Agora que já entendemos o que são as construções verdes e as vantagens que esse modelo de construção traz para os seus usuários, trabalhadores e investidores, vamos conferir quais são as suas últimas tendências. Acompanhe.

Estruturas mais leves e amplas

A construção de estrutura mais leve é uma tendência que entrega muito mais opções para os arquitetos e designers de interiores, além de contribuir para a redução de custos e elevar o potencial sustentável do projeto.

Todas essas possibilidades que o uso de estrutura mais leve traz, tem sido absorvida com sucesso pelos bons profissionais que passam a projetar construções com menos pilastras, mais vãos livres e menos paredes. Esse ganho de espaço aumenta a circulação de ar, deixando o ambiente mais arejado e fresco — já temos aqui um potencial para a redução de custos com climatização.

Além disso, a utilização desses materiais é muito benéfica para o meio ambiente, pois, consomem menos energia em sua produção. Por exemplo, uma casa feita com estrutura mais leve e pré moldada, utiliza menos concreto e aço, ou seja, reduz a produção desses materiais, emitindo menos poluentes na natureza.

Janelas inteligentes

Um dos focos da arquitetura contemporânea, as janelas, principalmente dos grandes edifícios, têm ganhado uma área cada vez maior nas fachadas. Os profissionais engajados em relação às causas sustentáveis, podem aproveitar esses espaços amplos para criar soluções benéficas para o ambiente.

Nesse cenário, uma tecnologia tem se tornado tendência nos últimos tempos, as janelas inteligentes. Não se trata de uma tecnologia nova, porém, sempre teve como seu principal entrave de popularização o alto preço. Porém, com os avanços mais recentes, seja em relação à utilização de novos materiais ou barateamento de tecnologias, está se tornando viável.

Esse modelo de janela tem a capacidade de controlar os níveis de entrada de luz solar, mantendo a iluminação e clima internos dentro de um determinado padrão. Esse padrão pode ser programado, com a utilização de inteligência artificial, permitindo que essas janelas, compostas por materiais eletricamente condutivos, selecionem os tipos de luz que devem ser bloqueadas ou não.

Paredes e telhados verdes

É cada vez mais comum, principalmente nas grandes cidades, vermos construções com paredes e/ou telhados verdes. Essas soluções ecológicas são extremamente benéficas, tanto para os bolsos dos proprietários, quanto para o bem estar dos usuários da edificação. 

Além de contribuir para um ambiente saudável, essa tendência contribui para o melhor desempenho acústico, pois, tem o potencial de bloquear som de alta frequência. Com o substrato instalado na superfície, há também o bloqueio de ruídos de baixa frequência, ou seja, o ambiente fica muito mais calmo e propício à boa produtividade.

Não podemos esquecer que os telhados e jardins verticais contribuem para a redução do calor, ou seja, tem função térmica. É uma forma de desincentivar a utilização dos aparelhos de ar-condicionado dentro das construções, aparelhos que são responsáveis pelos altos consumos de energia elétrica.

Outros ganhos importantes que esse tipo de estrutura traz são: a melhoria na qualidade do ar, a preservação da biodiversidade, incentivo a modelos de agricultura urbana e, além de tudo, contribui para que os prédios, geralmente cinza e sem graça, ganham um diferencial estético.

Energia renovável

A utilização da energia solar está se popularizando a cada ano e tem na indústria da construção civil um de seus principais mercados para a criação de projetos sustentáveis. Cresce exponencialmente o número de edificações nas grandes cidades que utilizam painéis fotovoltaicos, tanto na cobertura quanto nas laterais.

Essa energia elétrica é produzida quando a luz solar entra em contato com as placas e são convertidas em energia elétrica. A sustentabilidade vem, além da redução do consumo, pelo fato de que a energia pode ser utilizada para abastecimento interno e o excesso direcionado para distribuição local. 

A possibilidade de tornar uma construção autossustentável em energia tem feito engenheiros e arquitetos, tanto para edificações comerciais quanto para residenciais, buscarem por locais e posições em que as construções otimizem sua capacidade de absorção de energia. 

O ideal é juntar essa capacidade de obtenção de energia natural, com as demais tendências, ou seja, privilegiando a circulação de ar, a ventilação natural e o controle de temperatura otimizado pelos telhados e paredes verdes. Tudo isso, em geral, tem impacto na redução de consumo de energia e no ambiente.

Como vimos, as construções verdes estão deixando de ser apenas uma tendência e se tornando prioridade nos novos projetos arquitetônicos. O compromisso para a redução de impactos ambientais, aliado ao aumento da qualidade dos materiais e redução de custos, traz benefícios para todos os envolvidos no processo.

Gostou do nosso post? Então continue em nosso blog e confira nosso guia completo para uma gestão estratégica de pessoas.

Facebook Comments Box
Fechar