Você leu certo, é “uma” profissional de TI mesmo.

Chuto dizer que você já trabalhou em uma empresa que tem uma equipe de Tecnologia, certo? E que essa equipe era composta, majoritariamente, por homens. Aparentemente, encontrar uma profissional de TI é raridade, né? Talvez uns 80% homens e 20% mulheres? Ou talvez com uma diferença ainda maior… Parece que te conheço, né?

A verdade é que conhecemos o mercado de trabalho e historicamente – com reflexo claro nos dias de hoje – as oportunidades não são as mesmas para homens e mulheres. Afinal, isso não ia ser diferente na área de TI.

O estudo da IDC Brasil revelou que a área de TI deve crescer 5,8% em 2020, talvez até mais, considerando a necessidade de digitalização para sobreviver a crises mundiais e financeiras. Bom, o que resta para as mulheres nessa área com pouca representatividade? Como se destacar como uma profissional de TI? Vamos do início.

Infância e brinquedos com estereótipos de gênero

Agora a gente para e vai analisar por que uma equipe de tecnologia é composta por poucas mulheres. Bom, a primeira ideia é que falta incentivo. Enquanto meninos ganham videogames ou computadores, meninas ainda são presenteadas com bonecas e panelinhas cor-de-rosa.

Assim, não estamos dizendo que há problema com a cozinha cor de rosa, mas há problema na distinção de brinquedos “para meninos” e “para meninas”.

O estímulo infantil é muito importante para definir com o que teremos mais afinidade e interesse no futuro. Calma, não tô falando pra você sair correndo e comprar um videogame pra sua filha. Mas, afinal, essa é uma oportunidade de conhecer mais a criança que você está criando, deixe que ela tenha interesses e habilidades igualitárias e múltiplas.

Se desde criança ela tem menos contato com tecnologia, não vê mulheres estrelando em desenhos científicos, logo, fica mais difícil que ela crie o interesse pela área. Pois bem, a esperança é que as novas gerações tragam um pouco mais de mudança em relação a isso. Primeiro porque tecnologia é “a área do futuro” e segundo porque muito têm se falado sobre as questões de gênero.

Diferença Salarial

Primeiramente, um item que impacta diretamente na decisão por seguir ou não uma carreira é a diferença salarial. Entre homens e mulheres com formações semelhantes e exercendo os mesmos cargos, os homens ainda recebem salários mais altos.

Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que mulheres ganham, em média, 20,5% menos que homens no Brasil. Isso analisando variadas profissões e cargos – professoras recebem 9% menos que professores, enquanto em áreas de agricultura ou comércio, essa diferença pode chegar a quase 36%.

Agora, em um ambiente que já é “dominado” por homens, qual o estímulo para mulheres chegarem, dedicarem mais e ganharem menos? Ainda que estudos apontem que mulheres e homens têm as mesmas habilidades, qual o motivo para tamanha desigualdade? Aparentemente, só por injustiça.

Bom, para ajudar a minimizar o máximo possível dessa diferença mercadológica, levantamos 5 passos para ser uma profissional de destaque na área de TI. Ah, essas dicas também valem para qualquer pessoa, ok? Veja só:

1. Atualização profissional constante

Como muito já se comenta, a área de TI é nova e está em constante mudança. Isso exige que nos atualizemos sempre, para conhecer e aplicar as novidades, em termos de solução, que existem no mercado.

E aqui, a gente acaba tendo que lidar com uma “dificuldade”. Veja bem, se uma mulher escolhe engravidar e precisa se afastar com licença maternidade por 4, 5 ou 6 meses. Afinal, como fica essa necessidade de atualização, que chega, muitas vezes, a ser uma cobrança pessoal pelo medo profissional?

Afinal, nem toda mulher quer ser mãe, mas as que querem, podem muito bem ser estimuladas a terem seus filhos e serem profissionais exemplo! Que tal fornecer capacitações, para quando essa mãe retornar à jornada institucional? Do mesmo modo, seu negócio ganha e as colaboradoras também.

Assim, não tenha medo de fazer suas escolhas! Mas, se você quer ser uma profissional de destaque, invista também em cursos, webnários, encontros da área e esteja constantemente atualizada com novos lançamentos e soluções tecnológicas.

2. Seja uma profissional de TI completa

A princípio, entender de tudo um pouco te diferencia no mercado. Logo, isso te ajuda a ter mais ideias sobre qual solução atenderá melhor o cliente.

Que tal saber um pouquinho de tudo? Front-end, Back-end, Banco de Dados, DevOps, mobile, negócios, projetos… Afinal, a Tecnologia é uma área muito grande, com diversas oportunidades, explore e faça a diferença!

“Antigamente o pessoal falava que existia um analista e um programador, profissionais distintos. Mas hoje, para ser completo ou, por exemplo, pra conseguir um cargo de liderança, é interessante que você tenha múltiplas capacidades. Analise o que é proposto, dê uma solução e ainda coloque em prática a programação, se assim for preciso”, afirma a Analista de Sistemas do Social Bank, Ayne Souza.

3. Aprenda novas linguagens

E aqui nem estou falando só sobre Java, C ou Python, viu? Invista no inglês! Dessa forma, é importante saber que documentações, programações e manuais terão respostas mais assertivas na língua nativa da escrita. Portanto, entender o básico de inglês é fundamental.

Talvez investir em uma outra língua possa abrir portas fora. Quem sabe um Alemão possa te ajudar em um processo seletivo na Alemanha? As possibilidades são muitas!

Agora, para quem tem baixa renda é muito mais difícil, percebe? Existem crianças que já estão na área de programação ou de línguas, porque têm condições de investir em cursos. E outras que sequer tem acesso à internet. Nesses casos, tente encontrar soluções sociais. Por exemplo, encontre uma ONG ou Instituição que ofereça cursos de tecnologia ou línguas gratuitamente. Não vai ser fácil, mas não é impossível, ok? Acreditamos que você consegue!

4. Realize projetos voluntários

Empresas têm, cada vez mais, demonstrado importar-se com questões sociais. Portanto, se você já atua na área de Tecnologia e tem interesse em buscar um destaque mercadológico, que tal começar um novo projeto voluntário?

Porque proporcionar igualdade, traz visibilidade. Quem sabe você tira do papel um projeto para lecionar sobre programação semanalmente para pessoas de baixa renda? Enfim, a ideia é que além de retribuir à comunidade, você possa também se sentir bem com a atitude altruísta.

5. Participe de eventos

Finalmente, sabe o famoso “Networking”? Ele é fundamental para trazer reconhecimento. Veja bem, estamos falando sobre um mercado que falta profissionais pra quantidade de demanda que existe. A partir do momento que forma-se uma rede integrada com profissionais que se conhecem, o reconhecimento é questão de tempo.

Afinal, ser indicada pode te trazer oportunidades grandiosas. Conte com amigos(as) de faculdade, mercado, eventos, etc. Enfim, esteja sempre aberta a conhecer gente nova.

“Você constrói a sua carreira, se você for um ótimo profissional. Você não vai ficar sem emprego, as pessoas vão lembrar de você e vão te indicar para cargos importantes”, conforme experiência própria da Ayne Souza.

Pessoas que acreditam em pessoas

O Social Bank é um banco digital que defende a necessidade de pessoas acreditarem em pessoas. Assim, o que significa isso? Em suma, que nós apoiamos as multiplicidades, que criamos espaços para todos e todas, cada um é aceito com suas qualidades e características.

Dessa forma, além de um ambiente diverso, isso garante excelentes resultados. Cada um contribui, de forma horizontal, com suas principais skills, independente de cor, gênero ou orientações.

“O que nós, mulheres, precisamos é de mais apoio, não só pra quem entra agora no mercado, mas pra quem já tá na área. Apoio principalmente de outras mulheres. Pra crescer, ninguém cresce sozinho. Apoie e seja apoiado por profissionais que você admira. E aqui no Social Bank eu encontrei isso”, conclui Ayne Souza.

Quer saber mais sobre o propósito do Social Bank? Leia este artigo que preparamos pra você.

Ainda que mulheres extraordinárias estiveram presentes na área de tecnologia por anos, como Ada Lovelace desenvolvendo do que, aparentemente, foi o primeiro algoritmo da história, ou ainda configurando os primeiros computadores, videogames ou conquistando os primeiros títulos da área, surpreendentemente, as mulheres não recebem as mesmas oportunidades.

Enfim, é hora de rever conceitos, abrir espaço igualitariamente para conquistar resultados surpreendentes. Por fim, propor um ambiente de trabalho múltiplo e de pessoas que acreditam em pessoas.

Conheça mais sobre o Social Bank em:
Site | Facebook | Instagram | Youtube | LinkedIn