Trabalhar para reter talentos faz parte da gestão estratégica de pessoas e é fundamental para otimizar os resultados de um negócio. Afinal de contas, a rotatividade de pessoal — também conhecida como turnover — é onerosa para a empresa.

Além dos custos com rescisão, nova contratação e treinamentos, o alto fluxo de demissões e admissões gera um desgaste de imagem e atrapalha o clima organizacional. Ao reduzir esse índice, é possível perceber colaboradores mais satisfeitos, engajados e produtivos.

Quer conhecer quais são as melhores práticas para reduzir a rotatividade de pessoal? Continue a leitura e confira!

Identifique as razões da rotatividade de funcionários

O primeiro passo para reduzir o turnover é entender por que isso acontece dentro da sua empresa. Sendo assim, faça entrevistas de desligamento no último dia de trabalho do colaborador para que ele explique o motivo do pedido de demissão. Os fatores mais recorrentes são:

  • incompatibilidade com o cargo ou com a cultura organizacional;
  • problemas de relacionamento com colegas e líderes;
  • sobrecarga de trabalho;
  • ausência de reconhecimento;
  • salário baixo;
  • inexistência de benefícios;
  • falta de oportunidades de desenvolvimento;
  • condições de trabalho precárias;
  • clima organizacional ruim;
  • dificuldade de acesso ao local de trabalho etc.

Com esses dados em mãos, fica mais fácil identificar os principais pontos de insatisfação e traçar estratégias adequadas com o objetivo de reduzir a rotatividade. No entanto, lembre-se de coletar esses feedbacks também dos colaboradores que são demitidos pela empresa.

Muitas vezes, o funcionário é dispensado por baixo desempenho, mas a performance insatisfatória pode ser reflexo de problemas internos como falta de treinamentos e defeitos nas ferramentas de trabalho.

Melhore a qualidade do processo de recrutamento e seleção

Imagine que você precisa de uma pessoa carismática para lidar com os clientes, mas contrata um profissional tímido e sem muitas habilidades interpessoais? A probabilidade desse colaborador não se adaptar ao cargo é bem grande, não é mesmo? Assim, a demissão é inevitável.

É por isso que fazer contratações certeiras é uma estratégia de prevenção. Portanto, defina um perfil ideal para cada cargo, considerando conhecimentos técnicos, características comportamentais, experiências profissionais etc. Dessa forma, é possível contratar profissionais alinhados à cultura da empresa e às expectativas de cada posição.

Promova treinamentos periódicos

As capacitações não servem apenas para ensinar os colaboradores as tarefas fundamentais do cargo, mas também para proporcionar desenvolvimento constante. Sendo assim, além dos treinamentos de onboarding, é essencial oferecer qualificações periódicas.

Isso faz com que os colaboradores se mantenham atualizados, sejam mais produtivos, tenham mais confiança para exercer as suas funções, e, principalmente, sintam-se valorizados pela empresa. Logo, eles não verão necessidade de buscar novas oportunidades no mercado de trabalho.

Procure harmonizar o ambiente de trabalho

Conflitos entre colegas, cadeiras desconfortáveis, computadores que travam toda hora, ambiente mal ventilado etc. Todos esses fatores deixam o clima no ambiente de trabalho pesado e atrapalham a performance dos colaboradores. São doses diárias de estresse que, muitas vezes, motivam os pedidos de demissão.

Em vista disso, aposte em uma mobília ergonômica, garanta o bom funcionamento de todas as ferramentas de trabalho e até disponibilize um espaço de descanso a fim de deixar o ambiente de trabalho mais agradável. O colaborador valoriza empresas que demonstram preocupação genuína com seu bem-estar. Afinal de contas, essa precisa ser uma relação ganha-ganha.

Já no quesito clima organizacional, é necessário manter uma gestão transparente e deixar o espaço aberto ao diálogo. Isso faz com que o funcionário se sinta mais seguro e confortável dentro da organização. Atividades como dinâmicas em grupo, happy hours e confraternizações ajudam a tornar o ambiente descontraído e, principalmente, mais colaborativo. Com isso, você consegue prevenir embates entre membros da equipe e até com as lideranças.

Ofereça salários compatíveis com o mercado

O salário é um dos pontos-chave quando o assunto é redução de rotatividade. Isso porque a busca por uma remuneração maior é a principal razão para os pedidos de demissão. É isso que mostra a pesquisa “Why people quit their jobs” — em português, “Por que as pessoas largam os seus empregos”.

Pense bem: se você oferece um salário muito abaixo daquele praticado pelo mercado, vai atrair talentos pouco capacitados. Além disso, os melhores profissionais sempre vão enxergar o trabalho mal remunerado como algo temporário para garantir o sustento em momentos de crise ou para ganhar experiência no curto prazo.

Ou seja, assim que esses talentos alcançarem maturidade profissional vão procurar oportunidades com salário mais atrativo. No final das contas, seu negócio sempre terá rotatividade alta porque prepara mão de obra para a concorrência. Entendeu a importância de equipar os salários com o mercado?

Sendo assim, faça uma pesquisa salarial com o propósito de identificar qual é a remuneração e os benefícios oferecidos por outras empresas do mesmo segmento. É a partir dessas informações que você elaborará a política salarial da sua empresa.

Elabore planos de carreira

Apesar de o salário ser fator determinante para os pedidos de demissão, bons profissionais aceitam posições com remuneração mais baixa, desde que a empresa ofereça oportunidades de crescimento. É aí que entra o plano de carreira.

O plano de carreira é a estruturação da jornada de colaborador dentro da empresa. O programa determina as competências necessárias para assumir cada cargo e metas para que o funcionário possa subir de posição e ganhar mais.

Esse recurso oferece uma clara visão de futuro, pois mostra quais passos que o colaborador precisa seguir para ascender na carreira. Isso reduz a rotatividade porque o profissional será desafiado constantemente e não se sentirá estagnado. Dessa forma, ele não verá necessidade de buscar novas oportunidades no mercado.

Pense em estratégias de benefícios e motivação

Investir em ações para motivar os colaboradores contribui não apenas na redução de rotatividade, mas também para melhorar a performance dos funcionários. Portanto, use a criatividade para engajar os colaboradores.

Agora, quando o assunto é benefício, vá além do básico. Vale-transporte e vale-refeição, por exemplo, são auxílios padrões que os colaboradores esperam de qualquer empresa. O que enche os olhos dos profissionais são assistências não tradicionais como home office, previdência privada, licença-maternidade e licença-paternidade estendidas, entre outros. 

Dentro da gestão de benefícios, o destaque vai para o vale-presente. Essa é uma alternativa para presentear colaboradores em datas especiais — como aniversário, dia das mães e Natal — ou para reconhecer o bom desempenho deles. O melhor de tudo é que os funcionários têm liberdade para escolher como usar esse bônus.

Em resumo, uma alta rotatividade de pessoal impacta negativamente os resultados de uma empresa. Em razão disso, é fundamental investir em estratégias a fim de reduzir esse índice e engajar os colaboradores. Uma boa gestão de benefícios é uma das ações-chave nesse processo.

Gostou das dicas? Então, que tal intensificar a relação com os seus colaboradores e motivá-los com bonificações diferenciadas? Entre em contato conosco agora mesmo e conheça as soluções modernas e diferenciadas de vale-presente do Social Bank.