Saber o que é margem de contribuição e como calcular essa métrica é algo fundamental para a gestão financeira de qualquer negócio. Afinal, é ela que permite que a empresa saiba se a receita disponível consegue cobrir custos, despesas e gerar lucros.

Porém, para aproveitar seu maior potencial, é preciso saber como calcular essa métrica e conhecer sua função na prática. Neste artigo, vamos ensinar você a fazer isso e compreender se você está tendo lucro ou prejuízo na sua empresa.

Se você deseja saber mais sobre o assunto, não deixe de continuar lendo!

O que é margem de contribuição e como calcular seu valor?

Em definição, a margem de contribuição é a diferença entre o preço de venda de produtos e serviços e os custos e despesas que estão relacionadas especificamente a ela — como as variáveis, por exemplo. Sua fórmula para cálculo é:

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis).

Agora, falando de maneira simplificada, a margem de contribuição é uma forma prática dos gestores saberem se o que vendem é suficiente para cobrir as despesas e os custos do empreendimento — gerando, ainda, excedentes. É por meio dela que decisões mais assertivas são tomadas, estratégias são formuladas e melhorias são estimuladas em termos de vendas.

Como efetuar o cálculo da margem de contribuição?

Após compreender para o que serve, o que é margem de contribuição e como calcular seu valor, é chegada a hora de visualizar seu cálculo por meio de um exemplo prático. Vamos tomar como base uma empresa que vende produtos para cabelo.

Perguntas essenciais para o sucesso

Ao calcular a métrica citada, ela obterá respostas para as seguintes perguntas:

  • quais produtos para cabelos são mais rentáveis para minha empresa?
  • após a venda de tal produto rentável, ainda me sobra dinheiro?
  • existem serviços e produtos vendidos que não dão lucro?
  • quais itens para cabelos são os que menos contribuem para o lucro da minha empresa?
  • o custo do meu produto não é alto demais?

Para obter as respostas citadas, é preciso listar — em uma planilha ou outra ferramenta de gestão financeira — custos com comissões e impostos (chamados de Despesas Variáveis) e custos com frete, valor dos produtos adquiridos com o fornecedor, matéria-prima, entre outros (chamados de Custos Variáveis). Em seguida, os dados devem ser aplicados na fórmula ensinada acima.

Margem na prática

Vamos supor que, ao fazer esse cálculo, a empresa concluiu que a margem de contribuição dela é de 6 mil reais. Isso significa que, se os custos fixos dela forem maiores do que esse valor, ela sairá no prejuízo. Se forem menores, haverá lucro — que pode ser potencializado, revertido para demais setores da empresa ou inclusos em estratégias que têm o objetivo de alavancar a organização.

Quando usar a margem de contribuição?

Agora que você sabe o quão importante é essa métrica, é importante usá-la no momento certo. Para melhor aproveitar os aprendizados deste artigo, use o valor obtido para identificar o preço de venda ideal de seus produtos, bem como para conhecer o volume de vendas necessário para manter o fluxo de caixa de sua empresa em dia.

Estar ciente sobre o que é margem de contribuição e como calcular seu valor é fundamental para seu sucesso. Alinhe os conhecimentos adquiridos com boas práticas de educação financeira e veja seus resultados se ampliarem ainda mais!