Neste artigo, vamos trazer novidades sobre gestão de pessoas, além de fazer um apanhado geral sobre seu papel nas organizações. Preparamos uma série de dicas práticas que podem ser aplicadas no dia a dia!

Muito mais do que uma área operacional, a gestão de pessoas tem um papel estratégico nas organizações, e deve estar sempre conectada com o restante da empresa.

Para começar, que tal conhecer os pilares de gestão de pessoas? Vamos lá!

Quais são os pilares da gestão de pessoas?

Quando o tema é recursos humanos, muito se fala em gestão de pessoas. Mas você tem clareza do seu conceito? Trata-se de métodos e ações que devem ser colocados em prática com o objetivo de gerir e potencializar o comportamento das pessoas que trabalham em uma organização.

Por meio de técnicas e com o apoio de ferramentas específicas e da tecnologia, esses resultados podem ser obtidos, trazendo resultados tanto para os colaboradores quanto para a empresa. A seguir, vamos apresentar os pilares da gestão de pessoas. Acompanhe!

Motivação

A motivação é considerada o primeiro pilar da gestão de pessoas. Afinal, é preciso que as pessoas estejam dispostas a atuar de forma intensa, focada e direcionada aos resultados organizacionais para que uma empresa conquiste aquilo que deseja. No entanto, é comum que profissionais e, às vezes, até mesmo equipes inteiras se sintam desmotivados.

Um dos papéis da área de gestão de pessoas é identificar as causas desse comportamento, agir para procurar solucioná-lo e, assim, alavancar os melhores resultados. Entre os recursos que uma empresa tem para motivar a equipe estão:

  • excelente remuneração;
  • plano de carreira consolidado;
  • desafios constantes;
  • premiações.

Comunicação

A comunicação é mais um pilar da gestão de pessoas. Absolutamente essencial para garantir que as mensagens transmitidas pela empresa tenham unicidade e alcancem todos os colaboradores, a comunicação interna se dá por meio de uma série de canais — que devem ser pensados estrategicamente.

De nada adianta “produzir um jornalzinho” com fotos dos aniversariantes. É preciso levar as iniciativas de comunicação a sério, partindo do planejamento estratégico organizacional.

Para que essas ações sejam colocadas em prática, as médias e grandes empresas investem fortemente em endomarketing, com a criação de campanhas e publicações especializadas, que tratam do universo em que seus colaboradores vivem. Afinal, para que todos andem juntos, na mesma direção, é fundamental que a comunicação alcance as equipes por completo, mesmo em empresas que tenham bases espalhadas por diversos estados.

Trabalho em equipe

O trabalho em equipe também é parte essencial de uma boa gestão de pessoas. Incentivar que os colaboradores atuem com sinergia, com todos direcionando esforços para os mesmos objetivos — ainda que suas atividades sejam bastante diversas e diferentes entre si —, é a receita do sucesso.

Conhecimento e competência

A forma como a empresa lida com questões relacionadas ao conhecimento que os colaboradores têm sobre determinadas áreas e suas competências ao lidar com elas é mais um pilar da gestão de pessoas.

Isso porque o bom funcionário nem sempre é aquele que sabe tudo, e sim o que está disposto a aprender e crescer junto à organização. Dar oportunidades para que eles percebam que precisam evoluir, e proporcionar um incentivo à sua qualificação é um diferencial competitivo das melhores empresas.

Treinamento e desenvolvimento

Diretamente ligado ao pilar anterior, garantir que os colaboradores tenham acesso a oportunidades de treinamento e desenvolvimento é fundamental para o crescimento não apenas dos profissionais, mas da organização como um todo.

Embora seja importante que a empresa direcione esses esforços, o ideal é que não haja uma imposição. Permitir ao colaborador entender o que pode ajudar no seu crescimento e dar a liberdade de escolha a respeito de qual área ele gostaria de estudar mais a fundo é considerada uma boa prática.

Como otimizar a gestão de pessoas na empresa?

Para uma área ou processo de gestão de pessoas funcionar de forma plena dentro de uma organização, é preciso pensar em formas de otimizar o processo. A seguir, apresentamos algumas dicas que podem ser aplicadas tanto em grandes quanto em pequenas empresas.

Forme líderes inspiradores

Como são os líderes da empresa? Eles são inspirações para suas equipes, pessoas que tiram o máximo dos colaboradores, ou apenas foram promovidos para a função por se destacarem tecnicamente? Não é porque um colaborador é bom na sua função que ele saberá gerir um time.

Por isso, a formação de líderes é tão importante — e, aqui, não nos referimos a “chefes” que só sabem dar ordens e delegar. O verdadeiro líder é aquele que dá o exemplo para os seus subordinados seguirem.

Mais do que dar feedback, saiba ouvir

Feedbacks são aliados do processo de gestão de pessoas, não há dúvidas. Quando bem feito, o retorno a respeito do desempenho de um colaborador pode provocar grande crescimento profissional a ele, além de trazer benefícios para a empresa.

Mas não se pode esquecer que o contrário também é verdade: estar preparado para ouvir o que as equipes têm a dizer sobre a empresa e, a partir daí, promover mudanças sólidas e construir um ambiente melhor ajuda a manter o time engajado.

Proponha metas claras

Conhece aquele ditado, “o combinado não sai caro”? Então, quando a organização propõe metas e objetivos claros e aponta o caminho para onde deseja que a energia seja direcionada, tudo fica mais fácil. Dessa forma, a equipe consegue entender com muito mais clareza onde precisa chegar — e, caso não chegue, a empresa tem mais condições de diagnosticar o porquê e, ainda, de fazer as cobranças necessárias.

Invista em tecnologia

Entre os processos de gestão de pessoas que podem ser otimizados com o uso da tecnologia destacam-se:

  • recrutamento;
  • seleção;
  • gestão de documentos;
  • acompanhamento de desempenho;
  • gerenciamento de prazos, entre outros.

Quais as melhores práticas de gestão de pessoas?

Como todas as áreas, a gestão de pessoas também conta com boas práticas que devem ser disseminadas para que o processo seja altamente qualificado. Nesta parte do artigo, vamos abordar justamente algumas das melhores práticas do mercado. Continue com a gente!

Garanta a capacidade de comunicação

Como já mencionado, o investimento em comunicação interna é fator primordial dentro das empresas. Além de transmitir as mensagens e conteúdos necessários para o bom andamento dos trabalhos, saber ouvir as equipes também é básico.

Essa comunicação deve ser o mais aberta e transparente possível. Naturalmente, há informações estratégicas que são sigilosas, ou de interesse exclusivo da diretoria e dos acionistas. No entanto, tudo aquilo que puder ser compartilhado com as equipes deve, sim, ser comunicado.

Aqui, nos referimos até mesmo a dados referentes aos resultados da empresa, mesmo que o período não seja dos melhores, com prejuízos acumulados e uma necessidade extra de atuar com foco na retomada do crescimento. Até porque se essas informações vazarem para a imprensa e a equipe souber a respeito por meio dos jornais, o clima organizacional sofre e a injeção de ânimo tão necessária para a recuperação tem um efeito mais brando.

Saiba atrair os melhores talentos

Uma empresa precisa, fundamentalmente, de pessoas para crescer. É essencial atrair os melhores talentos do mercado para trabalharem na sua organização. Isso, no entanto, só será possível com um pacote de benefícios atrativo, um clima organizacional excelente e uma valorização dos profissionais, com um plano de carreira consolidado e que seja visto como referência pelo mercado.

Lembre-se que, apesar do momento de crise, os profissionais mais qualificados também têm um poder de decisão grande na hora de escolherem onde querem atuar. Se a sua empresa não for atrativa, apenas profissionais menos qualificados terão interesse nas vagas oferecidas.

Ofereça bons salários

Pode parecer óbvio, mas muitas empresas ainda sofrem em captar os melhores talentos justamente por oferecerem remunerações que ficam abaixo das reais necessidades de pessoas com comprovado nível de experiência e qualificação. É claro que oferecer salários na média do mercado ajuda a organização a se manter competitiva do ponto de vista financeiro, mas não é isso que trará o verdadeiro diferencial da empresa, nem incentivará a inovação e a criatividade no ambiente profissional.

Além dos valores salariais em si, é fundamental que a política de cargos e salários seja organizada, porém flexível. Deixe claro o que se espera do colaborador para que ele avance na empresa e, consequentemente, alcance uma remuneração mais alta. Esteja aberto a negociar e lembre-se que manter um bom profissional sai mais barato do que contratar outras pessoas.

Eventualmente, presentear a equipe e ofertar prêmios também pode ser uma estratégia interessante, mas é preciso conhecer bem o perfil dos profissionais para que essa ideia tenha efeitos positivos.

Dê autonomia à equipe

Uma boa política de gestão de pessoas está diretamente relacionada à autonomia dada ao time. Aprender a caminhar com as próprias pernas e, com isso, levar a empresa a um lugar onde ela não imaginou que poderia chegar é extremamente benéfico em longo prazo. Para isso, primeiro devem ser contratados profissionais que tenham essa disposição e sejam responsáveis o suficiente para assumir essa responsabilidade.

Se você não pode confiar na sua própria equipe, talvez o problema esteja no processo de seleção, concorda? Como disse Steve Jobs, “não faz sentido contratar pessoas inteligentes e dizer a elas o que fazer”. Com isso, o fundador da Apple estava falando justamente sobre autonomia.

Quais ferramentas podem ser usadas na gestão de pessoas?

O trabalho de gestão de pessoas é feito com o apoio de ferramentas. A seguir, listamos algumas delas:

  • pesquisa de clima organizacional — geralmente realizada a cada 1 ou 2 anos, essa pesquisa é uma entrevista com todos os colaboradores. O objetivo é entender suas percepções sobre a empresa, do que gostam, quais as oportunidades de melhoria e quais seus anseios quanto ao futuro;
  • avaliação de desempenho — feita pelo menos uma vez por ano, a avaliação de desempenho busca proporcionar ao colaborador um feedback a respeito de sua atuação, tanto sobre suas qualidades quanto sobre as melhorias necessárias;
  • treinamentos — oferecer oportunidades de capacitação e qualificação à equipe é mais uma ferramenta relacionada à gestão de pessoas;
  • planos de cargos e salários — da mesma forma, as definições de cargos e salários, além da devida orientação a respeito de como avançar na carreira, também é um exemplo de ferramenta que dá suporte à gestão de pessoas dentro de uma organização.

Qual o papel da tecnologia na gestão de pessoas?

A tecnologia está em todos os lugares e ramos profissionais, e na gestão de pessoas não é diferente. Veja como ela pode auxiliar nesse trabalho com alguns exemplos de iniciativas inovadoras que já existem no mercado.

Geração e análise de dados

Todo trabalho executado, toda tarefa entregue, todo projeto concluído gera uma imensidão de dados para uma empresa. Desde o tempo que levou para ser feito, o número de pessoas envolvidas, a quantidade de refações, a satisfação ou não do cliente, a quantidade de material de escritório utilizado, o consumo de energia elétrica para manter a equipe produzindo, a quantidade de fatias de pizza e os litros de refrigerante consumidos…

Os exemplos podem ser simplistas, mas tudo isso pode ser quantificado e servir como base para que melhorias sejam implantadas, do ponto de vista de gestão de pessoas, em trabalhos futuros. Índices de produtividade, de rotatividade, engajamento, entre outros fatores críticos, são os mais valiosos do ponto de vista de geração de dados.

Mapeamento de perfil

Existem softwares capazes de mapear o perfil dos colaboradores e, a partir desses dados, subsidiar o time de gestão de pessoas com informações capazes de propor a melhor forma de lidar com esses profissionais. A retenção de talentos tem um ganho significativo com a aplicação da tecnologia.

Gestão de pessoas menos operacional

Além disso, a própria atuação das áreas de gestão de pessoas e recursos humanos se torna menos operacional com o suporte tecnológico. Softwares capazes de reunir, em um só local, as informações do dia a dia e os dados mais estratégicos da área podem turbinar os resultados da equipe!

Quais são as principais tendências em gestão de pessoas?

É impossível prever tudo o que vai ocorrer no futuro, mas já dá para perceber algumas tendências inevitáveis em gestão de pessoas. De acordo com levantamento da Deloitte, essas são as principais:

  • mais foco na mobilidade interna e em manter talentos;
  • apostar em aprendizados, qualificação e melhoria contínua;
  • proposição de metas e oferta de recompensas adaptadas à realidade do colaborador atual;
  • adaptação ao trabalho remoto;
  • desenvolvimento de líderes com mentalidade contemporânea.

Chegamos ao fim deste artigo, no qual buscamos apresentar um panorama da gestão de pessoas. Esperamos que tenha apreciado o conteúdo e, para aprender mais, acompanhe nossas redes sociais! Estamos no Instagram, LinkedIn e YouTube.