Com a evolução do mercado e o desenvolvimento de novas formas de consumo, é natural que o segmento de alimentação fora do lar também passasse por mudanças. Recentemente, as principais novidades ficam por conta de aplicativos que gerenciam tanto os pedidos como a etapa de entrega.

Há também estabelecimentos que passaram a oferecer a comercialização de alimentos na modalidade Grab and Go, que podem ser consumidos em qualquer lugar. Tudo isso para tornar a experiência do cliente cada vez mais marcante, obtendo, assim, a sua fidelização.

Pensando em esclarecer as dúvidas, desenvolvemos um conteúdo que aborda o crescimento desse mercado e o seu impacto na vida do consumidor. Confira!

Quais são as principais tendências do setor de alimentos?

O crescimento do setor de alimentação fora do lar não é por caso. Segundo estimativas do IBGE, o ano de 2019 foi marcado por mudanças nos hábitos de consumo e, com isso, elevou o percentual desses gastos para 32,8% dos recursos destinados à alimentação.

Contudo, mesmo em um cenário positivo, é preciso estar atento às modificações do comportamento dos clientes e planejar como a sua empresa pode se adaptar. Por isso, listamos algumas tendências que podem afetar o seu negócio.

Aplicativos de delivery de comida

A adesão a aplicativos de delivery se tornou uma necessidade para as empresas que fornecem alimentos. Esse é um sinal claro de que é preciso ir até onde os clientes estão. Afinal, o serviço de encomenda de refeições e bebidas pela internet é utilizado por 26% dos entrevistados que têm o hábito de usar essa tecnologia.

Se você quer adotar esse modelo de comercialização, é muito simples. Por meio de um cadastro simples, diversos estabelecimentos podem oferecer seus produtos, receber o pagamento dos pedidos e organizar as entregas de forma simplificada.

Grab and Go

Esse é o tipo de serviço que pode ser oferecido em um estabelecimento que já existe. Supermercados, por exemplo, podem dedicar uma parte do seu espaço e oferecer refeições pré-embaladas que o cliente pode consumir imediatamente. Ainda, é possível oferecer diversas opções de alimentos, permitindo que o consumidor personalize o seu pedido com opções que desejar.

Alimentos saudáveis

Atualmente, as empresas estão cada vez mais atentas às necessidades dos clientes no que se refere à sua alimentação, para aumentar as vendas. Um estudo divulgado pelo Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável indicou que 19% dos entrevistados busca consumir alimentos orgânicos e esperam ampliar essa prática em 2020.

com isso, muitos estabelecimentos já têm cardápios que listam pratos vegetarianos juntamente com as opções tradicionais. Além disso, restrições alimentares, por motivo de dietas ou alergias, são consideradas no momento do preparo e resultam em um ambiente mais inclusivo.

Por que a alimentação fora do lar cresceu tanto?

O conceito de refeições que são consumidos em outros locais que não a própria casa já não é novidade. Afinal, tanto profissionais e estudantes tendem a buscar essa alternativa com grande frequência. Contudo, esse era um serviço que ficava restrito a restaurantes, lanchonetes, bares e, até mesmo, padarias.

O que especialistas têm observado hoje é que essa preferência está mudando em favor da agilidade, tanto para comprar como para entregar. Além disso, o consumidor está preocupado com a qualidade dos alimentos que consome, o que explica o crescimento do mercado de produtos naturais, orgânicos e vegetarianos. Por isso, se o seu objetivo é permanecer no setor alimentício, a sua empresa deve estar preparada para se adaptar, principalmente no que diz respeito à utilização de tecnologia.

O desafio de crescer no setor de alimentação fora do lar depende de investimentos em tecnologia para aprimorar a gestão de pedidos, os controles financeiros e a programação do delivery. Portanto, amplie as chances de sucesso de seu negócio com soluções desenvolvidas para as suas necessidades.

Se você gostou deste post e quer que mais pessoas conheçam este conteúdo, que tal compartilhar nas nossas redes sociais? Estamos no Facebook, Linkedin e Twitter.