Quem trabalha com gestão de RH conhece a realidade puxada de uma gestão de pessoas, controle de folha de pagamento, admissão de pessoas, enfim, são várias as funções deste profissional.

Mas tudo isso dá trabalho, concorda? Por isso vamos te ajudar a facilitar sua rotina no trabalho. Leia os 7 indicadores de RH essenciais para fortalecer estratégias: 

Indicador de absenteísmo:

Absenteísmo, é de comer ou de passar no cabelo? Nenhum dos dois, absenteísmo nada mais é do que o ato de se ausentar ou não comparecer a compromissos. 

Nem tudo flui 100% o tempo todo e quando o assunto é força de trabalho isso também acontece. Funcionários faltam, saem mais cedo e do mesmo modo, se atrasam. 

Os afastamentos de funcionários prejudicam o andar da carruagem do negócio, causam danos à produtividade, provocam falhas no atendimento ao cliente e geram mais custos. Em síntese, às ausências podem ser causadas por conflitos na equipe, desmotivação e doenças ocupacionais, por exemplo.

Como calcular a taxa de absenteísmo? Fazendo uma continha mamão com açúcar: Absenteísmo (%) = horas não trabalhadas ÷ horas efetivamente trabalhadas x 100. 

Indicador de turnover:

Como diria o Bial, dê sempre uma espiadinha na taxa de absenteísmo, pois ela afeta diretamente o índice de turnover. 

O turnover é o indicador de rotatividade, que relaciona a quantidade de admissões e demissões.

Com ele também é possível avaliar a qualidade do clima no ambiente de trabalho,  a eficiência das medidas de retenção de talentos, assim também, o entusiasmo dos funcionários.

Calcule a rotatividade com essa conta: Turnover (%) = profissionais que abandonaram a organização ÷ quantidade de trabalhadores no mesmo período x 100.

Para saber como reter seus talentos, confira o tópico extra deste artigo.

Indicador de satisfação dos funcionários:

 Ao contrário do turnover, o índice de satisfação dos funcionários pode ser mensurado diretamente e é fundamental para entender o nível de engajamento da equipe no trabalho.

Todo relacionamento tem seus altos e baixos e o mesmo acontece na relação entre os colaboradores e o recursos humanos. Assim também, muitas empresas usam o E-NPS (Employee Net Promoter Score) para avaliar o grau de satisfação de cada funcionário, em uma escala de 0 a 10.

Para aplicar o E-NPS faça perguntas como: de 0 a 10, qual a nota que você dá para o seu superior direto no trabalho; de 0 a 10, qual a probabilidade de você indicar essa empresa para um amigo trabalhar. 

Lembrando: o ideal é não pedir a identificação do funcionário ao aplicar o questionário.

Logo depois de colher as respostas, é possível classificar os colaboradores do seguinte modo:

  • promotores (respostas de 9 a 10) são os apaixonados pela empresa;
  • neutros (respostas 7 ou 8) são aqueles que não falam mal nem bem;
  • detratores (respostas 0 a 6) são as pessoas insatisfeitas com a organização. 

Indicador de headcount: 

Headcount é literalmente uma contagem de cabeças, esse indicador representa a quantidade de colaboradores na empresa e se o crescimento está sendo saudável ou não. 

Serve também para saber se o RH precisa contratar ou demitir, além de ser um excelente indicador da sua gestão de RH e de pessoas. 

Outro benefício do headcount é o detalhamento dos setores com maior expressão na folha de pagamento e onde estão os profissionais mais caros. Ou seja, bem simples e eficaz!

Indicador de custo per capita de benefícios:

Todo mundo gosta de se sentir especial e importante, com seus funcionários também é assim! 

Primeiramente, entenda que beneficiar seus funcionários é bom para garantir uma equipe motivada, entretanto, há um custo para isso.

Este indicador detalha os custos per capita (por cabeça) da empresa ao conceder benefícios para a equipe. Ou seja, é a comparação entre o número de colaboradores presentes na folha de pagamento e os gastos durante um mesmo período.

Para compreender este indicador é preciso considerar os benefícios comuns a todos, inclusive os previstos na legislação no acordo coletivo da categoria.

Os benefícios integram as estratégias de atração e retenção de talentos, por isso esse indicador não pode ficar de lado. Logo, quando for escolher em qual benefício investir, prefira opções flexíveis e práticas, como o Vale Presente fornecido pelo Social Bank

Indicador de retenção de talentos para uma boa gestão de RH

Achar um bom profissional é como achar um tesouro perdido, porém, tudo que é precioso atrai olhares e é cobiçado. Por isso, o indicador de retenção de talentos é tão importante, para garantir que a concorrência não tome seu precioso funcionário.

Antes de mais nada, é preciso compreender que o indicador de retenção de talentos é o que ajuda a manter os colaboradores na empresa. Devido a sua grande relevância, requer atenção e igualmente, cuidados especiais por parte da gestão de RH. 

Entenda quais são os fatores que levam um funcionário a se demitir: 

  • Sobrecarga de trabalho;
  • Inexistência de treinamento para o exercício da função;
  • Cultura organizacional que desvaloriza o funcionário;
  • Promover a pessoa errada;
  • Oferecer um ambiente de trabalho tóxico;
  • A empresa não honra os compromissos.

Se você perceber que a gestão de RH da sua empresa comete algum dos erros listados, pense em estratégias que podem solucionar as maiores dores dos seus talentos.

Por exemplo, crie um ambiente agradável de trabalho oferecendo flexibilidade, autonomia e liberdade para a equipe poder trabalhar.

Do mesmo modo, ofereça oportunidades de crescimento e aprendizado aos seus funcionários.

Indicador de produtividade no expediente de trabalho 

Ufa, chegamos ao último indicador! Empresas eficientes produzem mais do que a concorrência com os mesmos recursos, com menor taxa de erros e menos retrabalho. Entretanto, essa realidade ainda está distante para alguns, mas para corrigir isto o primeiro passo é mensurar a produtividade dos funcionários. 

Então faça essa continha: Produtividade (%) = produtos ou serviços gerados ÷ recursos utilizados. 

Extra: como controlar, melhorar e potencializar seus indicadores na gestão de RH

  • Crie um ambiente agradável de trabalho: a maioria das pessoas gostam de trabalhar em um lugar divertido e agradável, com bom clima e bons relacionamentos.

Sendo assim, uma chave para ter um ambiente legal é oferecer flexibilidade, autonomia e liberdade para a equipe poder trabalhar.

  • Invista no aprendizado e crescimento: ofereça oportunidades de crescimento e aprendizado aos seus funcionários.

Do mesmo modo, os treinamentos, o apoio ao estudo, o auxílio financeiro e a flexibilidade de horários para estudantes são alguns dos incentivos mais desejados pelos funcionários.

  • Dê recompensas e benefícios: dê alguns “mimos” para os colaboradores que possuem os menores índices de absenteísmo com cartões benefícios, folgas extras e promoções.

Um exemplo é o Vale Presente do Social Bank, que proporciona uma experiência moderna e personalizada e dá liberdade de escolha para os presenteados.

  • Amplie a comunicação: invista em outros meios de comunicação interna, além do telefone e email. Use ferramentas como o Slack (aplicativo de comunicação empresarial), redes sociais corporativas e videoconferência, por exemplo.
  • Tenha planos de carreira: acrescente a gestão de RH e de pessoas uma política de plano de carreira, em que o funcionário sobe de cargo conforme corresponde com um bom desempenho.

Aplique todas as dicas dos tópicos anteriores e veja a produtividade subir como um foguete na gestão de pessoas da sua empresa! Gostou de saber sobre o assunto? Leia mais em nosso blog e assine também nossa newsletter.